Imaginário social sobre o enfermeiro no cinema: uma aproximação histórico-social

Lucas de Sousa Santos Luc, Genival Fernandes de Freitas G

DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2022.63.09

Resumen

Introdução: O cinema dissemina o imaginário social a partir de diversas imagens e
arquétipos humanos sobre o profissional enfermeiro. Assim, este estudo possibilita uma
aproximação da linguagem fílmica entrelaçada à análise histórico-social do que é e do que
representa esse profissional. Objetivo: Descrever e analisar o imaginário social acerca da
representação do enfermeiro no cinema, considerando-se o contexto cultural e histórico de
cada obra fílmica escolhida. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, analítica e
de caráter histórico-social-cultural, com base no referencial teórico sobre o “imaginário
social”, em três obras da arte cinematográfica de épocas e países de origem distintos: “Um
Estranho no Ninho”, de 1975, “Desejo e Reparação”, de 2007 e “Meu Pai”, de 2020.
Resultados: A enfermagem apresenta-se retratada de forma diferenciada em películas
fílmicas, como a que invoca grandes ícones e seus feitos ou contribuições para o
desenvolvimento da profissionalização, porém sem discutir amiúde o processo histórico da
construção identitária do que é ser enfermeiro e do que ele faz, em prol da coletividade social.
Conclusão: O estudo contribuiu para a desmistificação do olhar integrado e estereotipado, na
esperança disto consolidar-se culturalmente e avançar na descrição e análise atenta, cuidadosa
e atual acerca das diferenças do ser e do fazer do enfermeiro, como ator social do seu tempo e
do contexto estrutural no qual se vê inserido.


Palabras clave

Pesquisa em Enfermagem; história da enfermagem; cinema; enfermagem no cinema.



DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2022.63.09





Copyright (c) 2022 Lucas de Sousa Santos Luc, Genival Fernandes de Freitas G

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.