CUIDADOS HIGIÊNICOS À MULHER NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL NA DÉCADA DE 1920.

Luiza Mara Correia Luiza, Amanda de Vasconcelos Braga Amanda, Simone Aguiar Kiki, Mercedes Neto Mercedes, Fernando Porto Porto

Resumen

Objetivo: descrever os manuais e os respectivos autores e discutir, analiticamente, a cultura dos cuidados de enfermagem destinados ao ciclo gravídico-puerperal para a formação das enfermeiras. Metodologia: abordagem histórica, pela estratégia da microanálise, com documentos localizados no Rio de Janeiro e literatura de aderência. Resultados: identificados manuais “Curso de Enfermeiros” (1920) e “Livro do Enfermeiro e da Enfermeira (1928)” e quatro registros veiculados na imprensa escrita e ilustrada. Discussão: identificado a influência militar médica.  Os cuidados prescritos nos manuais revelaram estarem direcionados às mulheres em estado gestacional – puerperal, voltados às necessidades biológicas com ênfase na higiene. Considerações finais: Conhecer a cultura dos cuidados destinados às mulheres no ciclo gravídico-puerperal traz indícios de como e porque cuidados em tempos atuais destinados as mulheres, às vezes, não atendem de forma direta e objetiva o esperado, em virtude, possivelmente, de herança deixada do passado. Descritores: História da enfermagem; Enfermeira; Higiene.


Palabras clave

História da enfermagem; Enfermeira; Higiene

Referencias

Alvez, A.P.C. (2015). As Representações da Enfermeira na obra “Curso de Enfermeiros” de Adolpho Possollo (1920-1948) [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Ayres, L.F.A. (2010). As Enfermeiras Visitadoras da Cruz Vermelha Brasileira e do Departamento Nacional de Saúde Pública no Início do Século XX. [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Ayres, L.F., Amorim W.M., & Alvez AD, Luchesi L.B.O. (2012). Campo da saúde pública: a criação dos cursos de enfermeiras visitadoras (1920). Rev Enferm UFPE online Mar; 6 (6):642-51. doi: 10.5205/reuol.2163-16218-1-LE.0603201220.

Duarte, M. (1997). O livro das invenções. São Paulo: Companhia das Letras.

Larocca, L.M., & Marques, V.R.B. (2010). Higienizar, Cuidar e Civilizar: o Discurso Médico para a Escola Paranaense (1920-1937). Rev Interf Jul/Set; 14 (34): p.647-60.

Moreira, A. (2003). Profissionalização da Enfermagem Brasileira: O Pioneirismo da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto (1890-1920). [tese]. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem da USP.

Porto, F.R., & Amorim W.M. (2008). História da Enfermagem Brasileira: Lutas, Ritos e Emblemas. Rio de Janeiro: Águia Dourada.

Possolo, A. (1920). Curso de Enfermeiros. Rio de Janeiro: Leite Ribeiro e Maurillo.

Rodrigues, M.A., Gomes, C., & Almeida R. (2008). História e memória: documento ad usum et beneficium Curso de Enfermeiros. Rev Referen Dez; 2 (8): 87-90. Recuperado de https://web.esenfc.pt/v02/pa/conteudos/downloadArtigo.php?id_ficheiro=251...

Rohden, F. (2002). Ginecologia, Gênero e Sexualidade na Ciência do Séc XIX. Rev Horizonte Antropológico Jun; 8 (17): p. 101-125.

Santos, G.F. (1928). Livro do Enfermeiro e da Enfermeira: para uso dos que se destinam à profissão de enfermagem e das pessoas que cuidam de doentes. Rio de Janeiro: Est. Graphico.

Universidade do Porto. (2006). Catálogo de Exposição Colecções do museu de história da medicina “Maximiano Lemos”. Portugal.

Wikipedia (2016): a enciclopédia Livre [homepage na internet]. Caneta Tinteiro. Recuperado de http://pt.wikipedia.org/wiki/Caneta-tinteiro.








Copyright (c) 2022 Luiza Mara Correia Luiza, Amanda de Vasconcelos Braga Amanda, Simone Aguiar Kiki, Mercedes Neto Mercedes, Fernando Porto Porto

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.