O enfermeiro na polícia militar do estado do Rio de Janeiro: luta por reconhecimento profissional

Marianne Cardoso Batalha, Marcleyde Silva de Azevedo Abreu, Antônio José de Almeida Filho, Tânia Cristina Franco Santos

Resumen

Objetivo: analisar as estratégias de lutas simbólicas empreendidas por enfermeiras oficiais do primeiro ramo da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, lote do Hospital Central da Polícia Militar, a fim de obter reconhecimento profissional. Método: estudo histórico. Fontes escritas referentes ao acervo de hospitais e orais, produzido por meio de 19 entrevistas. Uma análise foi consubstanciada com pequenos pedaços de poder simbólico e capital de Bourdieu. Resultados: há enfermeiros oficiais que não são encaminhados ao hospital para o início de um trabalho de gestão em saúde, incluindo planejamento estratégico, treinamento e capacitação da equipe.Conclusão: a princípio, duas enfermeiras oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, como maiorias, representam a conquista de um importante espaço de profissionalização.


Palabras clave

Enfermagem; história da enfermagem; enfermagem militar; equipe de enfermagem; hospital militar

Referencias

Abreu, MSA, Haddad, VCN, Costa, LMC, Teixeira, KRB, Peres, MAA, Santos, TCF. (2015, 18 de dezembro). First officer nurses of the Military Police of the State of Rio de Janeiro (1994-1995): incorporation of military habitus. Esc Anna Nery. 19(4):535-41. Obtido em: http:// dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20150071

Barros, JÁ (2012). Fontes Históricas: revisitando alguns aspectos primordiais para a pesquisa histórica. Mouseion.

Barros, JA (2019). Fontes históricas: introdução aos seus usos historiográficos. Rio de Janeiro: Vozes.

Bittencourt, RC, Santos, TCF, Abreu, MSAA, Almeida-Filho, AJ. Peres, MAA, Aperibense PGGS. (2019, 25 de setembro). Evolução histórica da configuração da equipe de enfermagem em um hospital militar. Rev Rene. 20:e41557. Obtido em: http:// dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20192041557

Bourdieu, P (1990). Coisas ditas. São Paulo: Editora Brasiliense.

Bourdieu, P (1999). A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: EDUSP.

Bourdieu, P (2004). Usos sociais da ciência: por uma sociologia crítica do campo científico. São Paulo: UNESP.

Bourdieu, P (2017). Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Costa, R. Padilha, MICS, Amante, LN, Costa, E, Bock, LF. O legado de Florence Nightingale: uma viagem no tempo. (2009, 30 de outubro). Texto contexto - enferm. 18(4): 661-669. Obtido em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072009000400007

Padilha, MICS. De Florence Nightingale à pandemia COVID-19: o legado que queremos. (2020, 25 de novembro). Texto contexto - enferm. 29: e20200327. Obtido em: http://dx.doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2020-0327








Copyright (c) 2021 Marianne Cardoso Batalha, Marcleyde Silva de Azevedo Abreu, Antônio José de Almeida Filho, Tânia Cristina Franco Santos

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.