Institucionalização da pessoa idosa: determinantes e caracterização sociodemográfica

Deysianne Ferreira da Silva, Keylla Talitha Fernandes Barbosa, Gésia Marilaid da Silva Honório, Camila Texeira de Carvalho Dias, Natalia Pessoa da Rocha Leal, Fabiana Maria Rodrigues Lopes de Oliveira

Resumen

Introdução. A pessoa idosa necessita de demandas de cuidado específicas, o que impulsiona as famílias a buscarem internações para estes em Instituições de Longa Permanência. Objetivo: investigar, à luz da literatura, os determinantes da institucionalização e as características sociodemograficas dos idosos institucionalizados. Métodos. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de dados LILACS, MEDILINE e BDENF, com os Descritores em Ciênias da Saúde e seus respectivos correspondentes do Medical Subject Headings: idoso (aged), institucionalização (institutionalization), envelhecimento (aging). A amostra final foi constituída por 30 estudos. A análise dos dados foi feita por meio da análise categorial temática proposta por Bardin. Resultados. Os determinantes da institucionalização da pessoa idosa identificados foram: falta de cuidador formal; falta de disponibilidade dos familiares; abandono; decisão do idoso; problemas de saúde; morar na rua e restrições financeiras. Quanto às caracteristicas sociodemográficas ocorreu predominância do sexo feminino; idade entre 65 e 75 anos; solteiros e viúvos; baixa escolaridade e baixa renda. Considerações finais. Estudos, como este, cooperam para o planejamento de cuidados de enfermagem mais eficaz fortalecendo as ações voltadas à prevençao deste desfecho.

Palabras clave

Enfermagem; idoso; institucionalização; envelhecimento

Referencias

Araújo, A.M., & Bós, A.J.G. (2017). Qualidade de vida da pessoa idosa conforme nível de institucionalização. Estudos. Interdiscipinares Sobre o Envelhecimento, 22 (3), 137-152. https://doi.org/10.22456/2316-2171.60224

Araújo, A.M., Sousa Neto, T.B., & Bós, A.J.G. (2016). Differences between the profiles of institutionalized elderly people and those on waiting lists and who do not want to be institutionalized. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19 (1), 105-118. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2016.14175

Aria, C.G., & Carmo, M.P. (2014). Transição e (In) Adaptação ao Lar de Idosos: Um Estudo Qualitativo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 31 (4), 435-442. https://doi.org/10.1590/0102-37722015042472435442

Arruda, L.M., & Avansi, T.A. (2014). Analfabetismo na terceira idade: pesquisa do analfabetismo em Sinop-MT. Revista Eventos Pedagógicos, 5 (2), 435-442. Recuperado de http://sinop.unemat.br/ projetos/revista/index.php/eventos/article/view/1425

Baldin, T., & Magnabosco-Martins, C.R. (2017). Tecendo representações sociais sobre envelhecer em instituições de longa permanência para idosos. Parrésia: Revista Discente de Psicologia, 1 (1), 55-84. Recuperado de http://seer.assis.unesp.br/index.php/parresia/article/view/514/472

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edição 70, 2011.

Borges, C.L., Silva, M.J., Clares, J.W.B., Nogueira, J.M., & Freitas, M.C. (2015). Características sociodemográficas e clínicas de idosos institucionalizados: contribuições para o cuidado de enfermagem. Revista Enfermagem Uerj, 23 (3), 381-387. https://doi.org/10.12957/reuerj.2015.4214

Fabrício-Wehbe, S.C.C., Rodrigues, R.A.P., Haas, V.J., Fhon, J.R.S., & Diniz, M.A. (2016). Association of frailty in hospitalized and institutionalized elderly in the community-dwelling. Revista Brasileira de Enfermagem, 69 (4), 691-696. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2016690411i

Freire, N.S.A., Cruz, M.V., Guedes, J.M., Campos, L.M., Santos-Silva, D.C., Lopes, W.J.P., Lopes, F.M.M., & Mendes, B.R. (2018). Perfil sociodemográfico e de adoecimento de idosos residentes em Instituição de Longa Permanência: estudo observacional. Revista Kairós-gerontologia, 21 (2), 227-240. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/40909

Frias, M.A.E., Pere, H.H.C., Pereira, V.A.G., Negreiros, M.C., Paranhos, W.Y., & Leite, M.M.J. (2014). Idosos em situação de rua ou vulnerabilidade social: facilidades e dificuldades no uso de ferramentas computacionais. Revista Brasileira de Enfermagem, 67 (5), 766-772. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670514

Furlan, V., & Alvarez, M.D. (2016). (Im) Possibilidades no trabalho com grupos de idosos em Instituições de Longa Permanência: uma experiência em Psicologia. Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, 11 (2), 01-11. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1809-89082016000200014

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. (2018). Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. Brasil: Rodrigo Paradella. Recuperado de https://agenciadenoticias. ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18- em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017

Kreuz, G., & Franco, M.H.P. (2017). O luto do idoso diante das perdas da doença e do envelhecimento - Revisão Sistemática de Literatura. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 69 (2), 168-186. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672017000200012

Lima, A.P.M., Gomes, K.V.L., Frota, N.M., & Pereira, F.G.F. (2016). Quality of life from the perspective of institutionalized older people. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 29 (1), 14-19. Recuperado de https://www.redib.org/recursos/Record/oai_articulo1143409-quality-life-perspective-institutionalized- older-people/Bibliography

Lini, E.V., Portella, M.R., & Doring, M. (2016). Factors associated with the institutionalization of the elderly: a case-control study. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19 (6), 1004-1014. https://doi.org/10.1590/1981-22562016019.160043

Lopes, V.M., Scofield, A.M.T.S., Alcântara, R.K.L., Fernandes, B.K.C., Leite, S.F.P., & Borges, C.L. (2018). O que levou os idosos à institucionalização? Rev Enferm Ufpe On Line, 12 (9), 2428-35. Recuperado de https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-995854.

https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i9a234624p2428-2435-2018

Loureiro, L.S.N., Fernandes, M.G.M., Nóbrega, M.M.L., & Rodrigues, R.A.P. (2014). Sobrecarga em cuidadores familiares de idosos: associação com características do idoso e demanda de cuidado. Revista Brasileira de Enfermagem, 67 (2), 277-232. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reben/ v67n2/0034-7167-reben-67-02-0227.pdf

Luz, E.S., Freire I.M., Souza, L.M.P., Queiros M.V.A., & Silva, J.M.D. (setembro, 2015). O idoso, sua família de baixa renda e a previdência social no brasil. Anais do 4º Congresso Internacional de Envelhecimento Humano, 2 (1), 1-11. Recuperado de https://editorarealize.com.br/revistas/cieh/ trabalhos/TRABALHO_EV040_MD2_SA14_ID1516_23072015152412.pdf

Melnyk, B.M., & Fineout-Overholt, E. (2005). Making case for evidencebased practice. Evidence based practice in nursing & healthcare: A guide to practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002009000400014

Melo,L.A.,Ferreira,L.M.B.M.,Santos,M.M.,&LimaK.C.(2017).Socioeconomic,regionalanddemographic factors related to population ageing. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 20 (4), 493-501. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232017000400493.

https://doi.org/10.1590/1981-22562017020.170004

Melo, N.C.V., Ferreira, M.A.M., & Teixeira, K.M.D. (2014). Condições de vida dos idosos no brasil: uma análise a partir da renda e nível de escolaridade. Revista Brasileira de Economia Doméstica, 25 (1), 4-19. Recuperado de https://www.locus.ufv.br/bitstream/handle/123456789/13829/154-953-1-PB. pdf?sequence=1&isAllowed=y

Mendes, R.; Rezende, & G.P. (2017). Qualidade de vida na perspectiva dos idosos de uma instituição de longa permanência do interior de minas gerais. Revista Brasileira de Ciências da Vida, 5 (2), 1-16. Recuperado de https://pdfs.semanticscholar.org/9e56/549f6e7d105fee4fa415f2ff6efc5c3eb1a7.pdf

Miranda, G.M.D., Mendes, A.C.G., & Silva, A.L.A. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19 (3), 507-519. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-98232016000300507&script=sci_ arttext&tlng=pt

Onunkwor, O.F., Al-Dubai, S.A., George, P.P., Arokiasamy, J., Yadav, H., Barua, A., & Shuaibu, H.O. (2016). A cross-sectional study on quality of life among the elderly in non-governmental organizations' elderly homes in Kuala Lumpur. Health And Quality Of Life Outcomes, 14 (6), 1-10. https://doi.org/10.1186/s12955-016-0408-8

Roquete, F.F., Batista, C.C.R.F., & Arantes, R.C. (2017). Demandas assistenciais e gerenciais das instituições de longa permanência para idosos: uma revisão integrativa (2004-2014). Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 20 (2), 288-301. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo. php?pid=S1809-98232017000200286&script=sci_abstract&tlng=pt

Rugbeer, N., Ramklass, S., Mckune, A., & Van Heerden, J. (2017). The effect of group exercise frequency on bealth related quality of life in institutionalized elderly. Pan African Medical Journal, 26 (35), 1-14. https://doi.org/10.11604/pamj.2017.26.35.10518

Salcher, E.B.G., Portella, M.R., & Scortegagna, H.M. (2015). Cenários de instituições de longa permanência para idosos: retratos da realidade vivenciada por equipe multiprofissional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 18 (2), 259-272. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14073

Satuf, C.V.V., & Bernardo, N.S.C.P. (2015). Percepção do suporte social a idosos institucionalizados e não institucionalizados. Psicologia da Saúde, 23 (1), 11-19. https://doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v23n1p11-19

Soares, N.V., Corrêa, B.R.S., Fontana, R.T., Brum, Z.P., Guimarães, C.A., Silva, A.F., & Rodrigues, F.C.P. (2018). Sentimentos, expectativas e adaptação de idosos internados em instituição de longa permanência. Revista Mineira de Enfremagem, 22 (1), 1-7. https://doi.org/10.5935/1415-2762.20180047

Soares, S.C.V., & Ferreira, F.C. (2016). Acessibilidade de uma Instituição de Longa Permanência para Idosos. Revista Perquirere, 13 (2), 240-246. Recuperado de https://docplayer.com.br/28863380- Acessibilidade-de-uma-instituicao-de-longa-permanencia-para-idosos.html.

Souza, A., Pelegrini, T.S., Robeiro, J.H.M., Pereira, D.S., & Mendes, M.A. (2015). Conceito de insuficiência familiar na pessoa idosa: análise crítica da literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, 68 (6), 1176-1185. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2015680625i

Souza, M.T., Silva, M.D., & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Revista Einstein, 8 (1), 102-106. https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

Ursi, E.S., & Gavão, C.M. (2005). Prevenções de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura (Tese de Mestrado). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP, Brasil. https://doi.org/10.1590/S0104-11692006000100017

Vanzella, E., Nascimento, J.A., & Santos, S.R. (2018). O envelhecimento, a transição epidemiológica da população brasileira e o impacto nas hospitalizações. Revista Elet Estácio Saúde, 7 (1), 1-9. Recuperado de http://periodicos.estacio.br/index.php/saudesantacatarina/article/view/3803

Veras, R.P., & Oliveira, M. (2018). Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, 23 (6), 1929-1936. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.04722018t.




DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2020.58.19





Copyright (c) 2020 Deysianne Ferreira da Silva, Keylla Talitha Fernandes Barbosa, Gésia Marilaid da Silva Honório, Camila Texeira de Carvalho Dias, Natalia Pessoa da Rocha Leal, Fabiana Maria Rodrigues Lopes de Oliveira

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.