História da saúde: a tuberculose nas cartas para Esther (São Paulo, 1905-1919)

Paulo Fernando Souza Campos, Daniele Nunes da Silva

Resumen

Objetivo: Na década de 1910 São Paulo, Brasil, passou por sucessivas transformações urbanísticas e sociais, as quais impactaram na história da saúde como as influenciadas pelo medo de epidemias que assolavam a cidade e matavam pessoas sem distinção de gênero, raça ou classe. O estudo objetiva uma análise deste contexto histórico a partir da história de uma sobrevivente, Esther de Figueiredo. Método e Fontes: Os indícios históricos analisados, referentes a um conjunto de correspondências datadas de 1905 a 1919, escritas por um homem comum para sua futura esposa, permitem indagar sobre as doenças e os medos sociais, bem como analisar as representações da tuberculose a partir da história de uma sobrevivente. Resultados: Os resultados transcendem a trajetória pessoal e possibilitam acessar aspectos inerentes à cultura dos cuidados em um contexto de institucionalização da saúde pública paulistana. Conclusões: A tuberculose foi uma dessas doenças que mobilizou a ciência médica a procurar meios de tratamento e cura.

Palabras clave

História da saúde; cultura dos cuidados; tuberculose; escrita epistolar; investigação qualitativa

Referencias

Anuário. (1910). Publicações. UNICAMP, Campinas. Recuperado de http://www.nepo.unicamp.br/publicacoes/anuarios/1910.pdf

Bertolli Filho, C. (2001). História Social da Tuberculose e do Tuberculoso 1900-1950. Rio de Janeiro: FIOCRUZ. https://doi.org/10.7476/9788575412886

Bertolli Filho, C. (2003) A gripe espanhola em São Paulo, 1918: epidemia e sociedade. São Paulo: Paz e Terra.

Ginzburg, C. (1989). Sinais: raízes de um paradigma indiciário. En Mitos, Emblemas e Sinais. Morfologia e História. (pp.143-180). São Paulo: Companhia das Letras.

Gomes, A. de C. (org.). (2004). Escrita de si, escrita da História: à título de prólogo. (pp.7-24). En escrita de si, escrita da História. Rio de Janeiro: FGV.

CISGES. (2019). Fontes. Cartas para Esther. São Paulo: UNISA. Recuperado de www.cisges.wordpress.com.

Gurgel, C. (2010). Ossos e doenças do passado. En Doenças e curas: Brasil nos primeiros séculos. (pp.42-46). São Paulo: Contexto.

IBGE. (2016). Estatísticas do século XX - populacionais, sociais, políticas e culturais. Brasília: IBGE. Recuperado de: http://seculoxx.ibge.gov.br/populacionais-sociais-politicas-e-culturais/busca-portemas/saude.html.

Malerba, J. (org.). (2006). A história escrita: teoria e história da historiografia. São Paulo: Contexto.

Mastromauro, G. C. (2013) As ações higienistas e a tuberculose em São Paulo (1890-1924) (Tese de doutorado não publicada). Instituto de Filosofia e Ciências - Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Monteiro, Y. N.; Carneiro, M. L. T. (2012) As doenças e os medos sociais. São Paulo: Fap-Unifesp. https://doi.org/10.7476/9788561673826

Pesavento, S. J. (2007). Sensibilidades: escrita e leitura da alma. En Langue, F. (org.). Sensibilidades na história: memórias singulares e identidades sociais. (pp.9-21). Porto Alegre: UFRGS.

Pollak, M. (1989). Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos, 2(3), 3-15.

Sheppard, D. de S. (2001) A literatura médica brasileira sobre a peste branca: 1870-1940. Hist. cienc. saúde-Manguinhos, (8) 1, 173-192. https://doi.org/10.1590/S0104-59702001000200008

Sousa, J. P. (2011) A cólera, a tuberculose e a varíola: as doenças e seus corpos. En Priore, M. D.; Amantino, M. (orgs.). História do corpo no Brasil. (pp. 223-250). São Paulo: Unesp.

Souza Campos, P. F. de; Maramaldo, J. R. V. (2017). História e Sentimento: Gênero e Masculinidade nas Cartas de Martiniano Medina (1908-1919). Gênero, 17(1),117-137. https://doi.org/10.22409/rg.v17i1.863

Vianna, P. V. C.; Zanetti, V.; Papali, M. A. (2014) Geografia, saúde e desenvolvimento urbano no interior paulista na passagem para o século XX: Domingos Jaguaribe e a construção da Estância Climática de Campos do Jordão. Hist. cienc. saúde-Manguinhos, (21) 4, 1341-1360. https://doi.org/10.1590/S0104-59702014005000019




DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2020.57.11





Copyright (c) 2020 Paulo Fernando Souza Campos, Daniele Nunes da Silva

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.