Sistematización de la atención de enfermería en pacientes con insuficiencia cardiaca etapa IV

Jéssica Naiara de Medeiros Araújo, Maria Isabel da Conceição Dias Fernandes, Andréa Tayse de Lima Gomes, Millena Freire Delgado, Ana Luisa Brandão de Carvalho Lira, Allyne Fortes Vitor

Resumen

Se trata de un estudio de caso, con el objetivo de describir la aplicación del proceso de enfermería en un paciente con insuficiencia cardiaca en etapa IV. Realizado en un hospital universitario situado en el Nordeste del Brasil. Los datos fueron recolectados en el mes octubre 2012 a través de un guión de entrevista y examen físico. Se identificaron los diagnósticos: Integridad de la piel alterada, La privación del sueño, Constipación y Volumen excesivo de líquidos. Se elaboró el resultado - Cicatrización de heridas: segunda intención, y se aplicó la intervención de enfermería - Cuidado de las úlceras por presión. De este modo, a través de la implementación de la atención de enfermería subsidiada por la sistematización de la asistencia de enfermería, se observó que los resultados deseados se lograron con experto.


Palabras clave

Atención de enfermería; Insuficiencia cardíaca; Úlcera por Presión; Enfermería

Referencias

Bocchi, E. A., et al. (2009). III Diretriz brasileira de insuficiência cardíaca crônica. Arquivos Brasileiros e Cardiologia, 93(1), 1-71. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/abc/v93n1s1/abc93_1s1.pdf

Carvalho, E. C., & Bachion, M. M. (2009). Processo de enfermagem e sistematização da assistência de enfermagem – intenção de uso por profissionais de enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem, 11(3), 466.

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). (2002). Resolução 272/2002. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE – nas Instituições de Saúde Brasileiras. Recuperado de http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-2722002-revogada-pela-resoluaocofen-n-3582009_4309.html

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). (2009). Resolução 358/2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências. Recuperado de http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html

Costa, M. P., Sturtz, G., Costa, F. P. P., Ferreira, M. C., & Barros, T. E. P., Filho. (2005). Epidemiologia e tratamento das úlceras de pressão: experiência de 77 casos. Acta ortopedica brasileira, 13(3), 124-133.

Dealey, C. (2008). Cuidando de feridas: um guia para enfermeiras. 3ª ed. São Paulo: Atheneu.

Dochterman, J. M., Bulechek, G. M., & Butcher, H. K. (2010). Classificação das intervenções de enfermagem (NIC). 5ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Fernandes, M. G. M., et al. (2012). Risco para úlcera por pressão em idosos hospitalizados: aplicação da escala de Waterlow. Revista enfermagem UERJ, 20(1), 56-60. Recuperado de http://www.facenf.uerj.br/v20n1/v20n1a10.pdf

Franzen, E., et al. (2007). Adultos e idosos com doenças crônicas: implicações para o cuidado de enfermagem. Revista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Faculdade de Medicina da Universidade do Rio Grande do Sul, 27(2), 28-31. Recuperado de http://seer.ufrgs.br/hcpa/article/view/2045

Gaui, E. M., Klein, C. H., & Oliveira, G. M. (2010). Mortalidade por insuficiência cardíaca: análise ampliada e tendência temporal em três estados do Brasil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 94(1), 55-61. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/abc/v94n1/10.pdf

Giglio, M M., Martins, A. P, & Dyniewicz, A. M. (2007). Análise do grau de dependência e predisposição à úlcera de pressão em pacientes de hospital universitário. Cogitare enfermagem, 12(1), 62-8.

Gonçalves, L. H. T. (2008). O cuidado da pessoa idosa no seu processo saúde e doença. In: Schawanke, C. H. A., & Schneider, R. H. (Org.). Atualizações em geriatria e gerontologia: da pesquisa básica a prática clínica. Porto Alegre: Edipucrs, 123-133.

Herdman, T. H. (2013). Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação – 2012/2014. Porto Alegre (RS): Artmed.

Horta, W. A. (1979). Processos de enfermagem. São Paulo: EPU.

Lima, E. S., et al. (2011). Effect of ventilatory support on functional capacity in patients with heart failure: a pilot study. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 96(3), 227-232.

Luiz, F. F., Padoin, S. M. M., Neves, E. T., Ribeiro, A. C., & Tronco, C. S. (2010). A sistematização da assistência de enfermagem na perspectiva da equipe de um hospital de ensino. Revista eletrônica de enfermagem, 12(4), 655-659.

Menezes, S. R. T., Priel, M. R., & Pereira, L. L. (2011). Autonomia e vulnerabilidade do enfermeiro na prática da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(4), 953-958. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n4/v45n4a23.pdf

Moorhead, S., Johnson, M., Maas, M. L., & Swanson, E. (2010). Classificação dos resultados de enfermagem (NOC). 4ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Moro, A., Maurici, A., Valle, J. B., Zaclikevis, V. R., Kleinubing, H., Jr. (2007). Avaliação dos pacientes portadores de lesão por pressão internados em hospital geral. AMB: Revista da Associação Médica Brasileira, 53(4), 300-304.

Naso, F. C., Pereira, J. S., Beatricci, S. Z., Bianchi, R. G., Dias, A. S., & Monteiro, M. B. (2011). A classe da NYHA tem relação com a condição funcional e qualidade de vida na insuficiência cardíaca. Fisioterapia e Pesquisa, 18(2), 157-163.

Nogueira, P. R., Rassi, S., & Corrêa, K. S. (2010). Perfil epidemiológico, clínico e terapêutico da insuficiência cardíaca em hospital terciário. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 95(3), 392-380. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/abc/v95n3/aop09910.pdf

Potter, P. A., & Perry, A. G. (2013). Fundamentos de enfermagem. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Risner, P. B. (1986). Diagnosis: analysis and synthesis of data. In: Griftith, K. & Cristensen, P. J. Nursing Process: application of theories frameworks and models. 2ª ed. Saint Louis: Mosby.

Rogenski, N. M. B., & Santos, V. L. C. G. (2005). Estudo sobre a incidência de úlceras por pressão em um hospital universitário. Revista latino-americana de enfermagem, 13(4), 474-480. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rlae/v13n4/v13n4a03.pdf

Santos, A. C. S., Santo, F. H. E., Pestana, L., Daher, D. V., & Santana, R. (2011). Insuficiência cardíaca: estratégias usadas por idosos na busca por qualidade de vida. Revista Brasileira de Enfermagem, 64(5), 857-863.

Tannure, M. C., & Gonçalves, A. M. P. (2008). SAE: Sistematização da assistência de enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Truppel, T. C., Meier M. J., Calixto, R. C., Peruzzo, S. A., & Crozeta K. (2009). Sistematização da assistência de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(2), 221-227. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n2/a08v62n2.pdf




DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2017.48.25





Copyright (c) 2017 Jéssica Naiara de Medeiros Araújo, Maria Isabel da Conceição Dias Fernandes, Andréa Tayse de Lima Gomes, Millena Freire Delgado, Ana Luisa Brandão de Carvalho Lira, Allyne Fortes Vitor

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.