La calidad de vida en el trabajo: la experiencia de los profesionales de la salud en una Unidad Básica de Salud en Minas Gerais - Brasil

Ernandes Gonçalves Dias, Alexandre Rodrigues dos Santos, Erleiane Lucinária Santos Souza, Marlúcia Mendes Ladeia Araújo, Janine Cinara Silveira Alves

Resumen

Objectivo: Verificar la percepción del sufrimiento en el trabajo de los profesionales de la salud Unidad Básica de Salud Delson Pinheiro de Aguiar en Serranópolis Minas.

Método: Se trata de un estudio transversal exploratorio de abordaje cualitativo. Los datos fueron recolectados de marzo a abril 2015, a través de una entrevista semiestructurada aplicada a 12 profesionales de la salud.

Resultados: Se observó que la mayoría de los profesionales encuentran placer en el trabajo, ya ayudar a los demás, contribuyen a mejorar la calidad de vida de la población, llevar la información y el alivio del dolor y el placer por lo que hacen. Las situaciones que causan sufrimiento es la falta de reconocimiento por los esfuerzos realizados en la ejecución de la obra, la indiferencia en las relaciones interpersonales entre los profesionales y la falta de colegialidad.

Conclusión: Es necesario que los profesionales de la salud tienen el reconocimiento y apreciación en cuanto a su trabajo, por lo que el sufrimiento de las experiencias se puede mejorar.


Palabras clave

Calidad de Vida; Personal de Salud; Satisfacción en el Trabajo; Centros de Salud

Referencias

Roble, G.L.E. (2012). Qualidade de vida no trabalho: um estudo em empresas que publicam balanço GRI. 2012, 118f. Dissertação (Mestre em Administração) Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Ferro, F.F. (2012). Instrumento para medir a qualidade de vida no trabalho e a ESF: uma revisão de literatura. 2012. 92f. Monografia (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família), UFMG, Brumadinho, Minas Gerais.

Ferreira, T.K.M., Todescat, M., Weinzierl, G. (2012). Qualidade de vida no trabalho: um desafio a ser perseguido. Congresso virtual brasileiro de administração, p. 1-17. [acesso: 14 out. 2015]. Disponível em: http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_1355.pdf

Paula, P. de, Stefano, S.R., Andrade, S.M. de, Zampier, M.A. (2011). Clima e cultura organizacional em uma organização pública. Gestão &Regionalidade; 27(81): 59-73, set./dez.

Faria, H.P de. (2009). Processo de trabalho em saúde. 2° ed. Belo Horizonte: Coopmed, 72p.

Alves, E.F. (2011). Programas e ações em qualidade de vida no trabalho. Revista Interfacehs, 6(1): 60-78. Abr.

Andrade, R.M. (2012). Qualidade de Vida no Trabalho dos Colaboradores da Empresa Farben S/A Indústria Química. 52f. Monografia (Especialista em Gestão Empresarial) UNESC, Criciúma, 2012.

Ferreira, C.G., Kusma, S.Z., Ditteric, H.R.G. (2009). Qualidade de vida e o trabalho sob a ótica da equipe de enfermagem em um serviço de urgência e emergência. Revista Gestão & Saúde, Curitiba, 1(2): 17-25.

Glanzner, C.H., Olschowsky, A., Kantoski, L.P. (2011). O Trabalho Como fonte de prazer: Avaliação da Equipe de um Centro de Atenção Psicossocial. Rev. Esc. enferm. USP, 45(3): 716-721.

Meyer, A.M., Guimarães, L. de V.M. (2013). Encontro de gestão de pessoas e relações de trabalho. Brasília : DF, “Mais prazer ou mais sofrimento”? Um estudo com trabalhadores de agência bancária, Brasília, ANPARD, nov.

Almeida, P.J dos S., Pires, D.E de. (2007). O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento, Revista Eletrônica de enfermagem, 9(3): 617-629, 2007. [acesso: 21 jun. 2015]. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v9/n3/pdf/v9n3a05.pdf

Araújo, G.A., Soares, M.J.G.O., Henriques, M.E. de M. (2009). Qualidade de vida: percepção de enfermeiros numa abordagem qualitativa, Revista Eletrônica de Enfermagem, 11(3): 635-641. [acesso: 21 jun. 2015]. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v11/n3/pdf/v11n3a22.pdf

Rocha, A.M. (2012). Qualidade de vida no trabalho (QVT): Um estudo na loja arco-íris na cidade de Picos-PI, 67 f. Monografia (Bacharel em administração) Campus Senador Helvidio Nunes de Barros, UFPI, Picos, Piauí.

Castilho, C.R.N. (2010). A relação ao processo do processo de Enfermagem com o adoecimento desses profissionais: uma pesquisa bibliográfica. 40f. Monografia (Especialização em saúde pública) Faculdade de Medicina, UFRGS, Porto Alegre.

Sumariva, A., Ouriques, M.A. (2010). Qualidade de vida ocupacional dos profissionais de educação física que atuam nas academias de Blumenau SC nas modalidades de musculação e ginástica. 63 f. Monografia (Graduação em Educação Física) -Centro de Ciências da Saúde, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau.

Gessner, C.L.S., Grillo, L.P., Sandri, J.V. de A., Próspero, E.N.S., Mariath, A.B. (2013). Qualidade de vida de trabalhadores de equipes de saúde da família no sul do Brasil, Rev. Bras. Pesq. Saúde, Vitória, 15(3): 30-37, jul./set.

Viero, V. (2014). Prazer e sofrimento dos trabalhadores de enfermagem em oncologia pediátrica, 187 f. Dissertação (Mestrado em Cuidado, Educação e Trabalho em Enfermagem) Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, 2014.

Marson, L.S.C., Rodrigues, M.V.R., Calderón, P.A.L., Santos, I.C. dos. (2011). As relações entre motivação e qualidade de vida no trabalho: um estudo com técnicos administrativos de uma universidade pública do estado do Rio de Janeiro. In: Congresso Nacional de excelência em gestão, n 7, Rio de Janeiro. p. 1-20.

Carvalho, J.F. de, Martins, E.P.T., Lúcio, L., Papandréa, P.J. (2013). Qualidade de vida no trabalho e fatores motivacionais dos colaboradores nas organizações. Educação em foco, 7(1): 21-31.




DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2017.48.18