Corporeidade, transpessoalidade e transculturalidade: reflexões dentro do processo saúde-doença-cuidado

Antonio Jorge Silva Correa Júnior, Mary Elizabeth de Santana

Resumen

O objetivo será compreender a relação entre o corpo e a corporeidade nas esferas social e da saúde, de acordo com alguns atributos dos cuidados transpessoal e transcultural. Refletiu-se sobre o corpo e o poderio estatal, mídia e instituições; sobre o resgate da dimensão ontológica do Ser – a própria corporeidade – amparada pelos cuidados transpessoal e transcultural, fazendo com que a expectativa isolada da cura seja um ponto diante das relações afetivas e socioculturais, além do adoecimento que suscita uma rediscussão entre o existir corporal de adoecidos e profissionais e modelos de cuidado que levem em conta as circunstancias que “marcam” a corporeidade.

Palabras clave

Corporeidade; relações profissional-paciente; teoria de enfermagem; cuidado transpessoal; cuidado transcultural

Referencias

Alberoni, S. A. (2014). O que queremos ao cuidar? - o tênue limiar entre produção de padecimento e produção de saúde. Mnemosine, 10(2), 88-107. Disponível em: http://www.mnemosine.com.br/ojs/index.php/mnemosine/article/view/361/pdf_289

Arruda, C. N.; Braide, A. S. G. & Nations, M. (2014). "Carne crua e torrada": a experiência do sofrimento de ser queimada em mulheres nordestinas, Brasil. Cad saúde coletiva, 30(10), 2057-2067. https://doi.org/10.1590/0102-311X00175713

Barros, J. A. C. (2002). Considering the health-diesease process: what does the biomedical model answer to? Saúde Soc, 11(1), 67-84. https://doi.org/10.1590/S0104-12902002000100008

Boff, L. (1999). Saber Cuidar: ética do humano compaixão pela terra. Petrópolis: Editora Vozes.

Borba, M. P. & Hennigen, I. (2015). Composições do corpo para consumos: uma reflexão interdisciplinar sobre subjetividade. Psicologia & Sociedade, 27(2). https://doi.org/10.1590/1807-03102015v27n2p246

Caravaca-Morera, J. A. & Padilha, M. I. (2017). Cuerpos en tránsito: espacios, emociones y representaciones que (des)construyen realidades. Rev esc enferm USP, 51(e03203). https://doi.org/10.1590/s1980-220x2016036103203

Contatore, O. A., Malfitano, A. P. S., & Barros, N. F. (2017). Os cuidados em saúde: ontologia, hermenêutica e teleologia. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 21(62), 553-563.

https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0616

Doerr-Zegers, O., & Stanghellini, G. (2015). Phenomenology of corporeality: a paradigmatic case study in schizophrenia. Actas Esp Psiquiatr [Internet], 43(1), 1-7. Disponível em: https://www.actaspsiquiatria.es/repositorio//17/93/ENG/17-93-ENG-1-7-410304.pdf

Favero, L., Meier, M. J., Lacerda, M. R., Mazza, V. A., & Kalinowski, L. C. (2009). Aplicação da Teoria do Cuidado Transpessoal de Jean Watson: uma década de produção brasileira. Acta Paulista de Enfermagem, 22(2), 213-218. https://doi.org/10.1590/S0103-21002009000200016

Favero, L., Pagliuca, L. M. F., & Lacerda, M. R. (2013). Cuidado transpessoal em enfermagem: uma análise pautada em modelo conceitual. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(2), 500-505. https://doi.org/10.1590/S0080-62342013000200032

Ferreira, M. V. (2015). Michel Henry y los problemas de la encarnación: el cuerpo enfermo. Psicologia USP, 26(3), 352-357. https://doi.org/10.1590/0103-6564D20150005

Foucault, M. (1979). Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal.

Galak, E. (2015). A educação física busca o aperfeiçoamento da raça: políticas públicas, saúde, eugenia e educação dos corpos. In Gomes, I. M., Fraga, A. B., & Carvalho, Y. M. Práticas Corporais no Campo da Saúde: Uma política em formação (pp. 47-74). Porto Alegre: Rede UNIDA. https://doi.org/10.18310/9788566659375

George, J. B. (1993). Madeleine M. Leininger. In George, J. B. et al. Teorias de enfermagem: os fundamentos para a prática profissional (pp. 297-310). Porto Alegre: Artes Médicas.

Gomes, D. R. G. & Próchno, C. C. S. C. (2015). The ill person-body, the hospital and psychoanalysis: contemporary unfoldings?. Saúde e Sociedade, 24(3), 780-791. https://doi.org/10.1590/S0104-12902015134338

Haddad, V. C. N. & Santos, T. C. F. (2011). The environmental theory by florence nightingale in the teaching of the nursing school Anna Nery (1962-1968). Escola Anna Nery, 15(4), 755-761. https://doi.org/10.1590/S1414-81452011000400014

Jiménez-Ruiz, I. & Almansa Martínez, P. (2017). Female genital mutilation and transcultural nursing: adaptation of the Rising Sun Model. Contemporary nurse, 53(2), 196-202. https://doi.org/10.1080/10376178.2016.1261000

Justo, A. M., Camargo, B. V. & Alves, C. D. B. (2014). Context effects on social representations of the body. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 30(3), 287-297. https://doi.org/10.1590/S0102-37722014000300006

LaMar, J. (2013). Cultura e etnicidade. In Potter, P. & Perry, A. G. Fundamentos de Enfermagem. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Le Breton, D. (2011). A Sociologia do corpo. Petrópolis: Editora Vozes.

Le Breton, D. (2003). Adeus ao corpo: Antropologia e sociologia. Campinas, SP: Papirus.

Melo, L. P. & Ponte, M. P. T. R. (2013). Corpo e antropologia: uma reflexão. In Melo, Lucas Pereira de; Gualda, Dulce Maria Rosa; Campos, Edemilson Antunes. Enfermagem, antropologia e saúde. 1ª ed. Barueri: Manole.

Mota, A. & Schraiber, L. B. (2014). Medicine under the lens of history: theoretical and methodological reflections. Ciencia & saude coletiva, 19(4), 1085-1094. https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.16832013

Pessoa, S. M. F., Pagliuca, L. M. F., Damasceno, M. M. C. (2006). Teoria do cuidado humano: análise crítica e possibilidades de aplicação a mulheres com diabetes gestacional. Rev Enferm UERJ, 14(3), 463-69. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v14n3/v14n3a20.pdf

Rohrbach Viadas, C. (2015). Historic perspectives from anthropology. Reflections proposed to Transcultural Nursing. Investigacion y educacion en enfermeria, 33(2), 365-373. https://doi.org/10.17533/udea.iee.v33n2a20

Sales, C. A., Silva, M. R. B., Borgognoni, K., Rorato, C. & Oliveira, W. T. (2008). Cuidado paliativo: a arte de estar-com-o-outro de uma forma autêntica. Rev. enferm. UERJ, 16(2), 174-179. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v16n2/v16n2a06.pdf

Segre, M. & Ferraz, F. F. (1997). O conceito de saúde. Rev Saúde Públ (online), 31(5), 538-42. https://doi.org/10.1590/S0034-89101997000600016

Talento, B. (1993). Jean Watson. In George, J. B. et al. Teorias de enfermagem: os fundamentos para a prática profissional (p. 253-266). Porto Alegre: Artes Médicas.

Teixeira, L. C. (2006). Um corpo que dói: considerações sobre a clínica psicanalítica dos fenômenos psicossomáticos. Lat am j fundam psychopathol online, 6(1), 21-42. Disponível em: https://docplayer.com.br/22014-Um-corpo-que-doi-consideracoes-sobre-a-clinica-psicanalitica-dos-fenomenos-psicossomaticos.html

Vaz, A. F. (2015). Corpo, Política, Modernidade. In Gomes, I. M., Fraga, A. B., & Carvalho, Y. M. Práticas Corporais no Campo da Saúde: Uma política em formação (pp. 75-91). Porto Alegre: Rede UNIDA. https://doi.org/10.18310/9788566659375

Zanatta, E. A. & Motta, M. G. C. (2015). Violence in the view of young people in the perspective of corporeality and vulnerability. Texto & Contexto - Enfermagem, 24(2), 476-485.

https://doi.org/10.1590/0104-07072015001302014




DOI: https://doi.org/10.14198/cuid.2020.57.15





Copyright (c) 2020 Antonio Jorge Silva Correa Júnior, Mary Elizabeth de Santana

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.